PARQUE ESTADUAL DO ITACOLOMI

O Parque Estadual do Itacolomi, criado em 14 de junho de 1967, está localizado nos municípios de Mariana e Ouro Preto, em Minas Gerais. O Parque possui área de 7.543 hectares. A vegetação predominante é composta por matas onde se destacam as quaresmeiras e candeias. Nas regiões de maior altitude são encontrados campos em meio aos afloramentos rochosos. Existem ainda diversos córregos e rios, sendo os principais: Manso, dos Prazeres, Domingos, Benedito e Belchior.

O Parque é guardião do Pico do Itacolomi, formação rochosa singular com 1.772 metros de altitude e que pode ser avistada de toda a região. Além do patrimônio natural, onde se destacam diversas espécies de animais raros e ameaçados de extinção, como o lobo guará, a ave-pavó, a onça parda e o andorinhão de coleira (ave migratória), bem como, macacos, micos, tatus, pacas, capivaras, gatos mouriscos e mais de 200 espécies de aves, o Parque ajuda a conservar elementos importantes da história de Minas e do Brasil. O Pico do Itacolomi era uma das principais referências na paisagem para todos que buscavam alcançar a antiga Vila Rica. A região onde atualmente se localiza o Parque possuía grande valor estratégico, por estar em uma posição privilegiada em relação aos caminhos ou Estradas Reais que serviam de acesso para exploradores e comerciantes. Atualmente o Parque Estadual do Itacolomi conta com ótima infraestrutura de recepção de visitantes e pesquisadores, oferecendo trilhas, museus, centro de visitantes, entre outras atrações.

Como Chegar

O Parque Estadual do Itacolomi está a 100 km de Belo Horizonte. O principal acesso é pela Rodovia dos Inconfidentes (BR-356) que interliga a BR-040 aos municípios de Itabirito, Ouro Preto e Mariana, em Minas Gerais. A portaria por estar às margens da rodovia, favorece o acesso por ônibus intermunicipais com destino a Mariana ou ônibus municipais, como o que leva ao Hospital de Ouro Preto. Esse possui ponto final em frente à entrada do Parque e passa pela rodoviária da cidade. Da portaria até a Fazenda do Manso, onde existe a infraestrutura de recepção, são 5km em estrada de terra e pode ser percorrido a pé, bicicleta ou carro. GERAR ROTA / HORÁRIOS DE ÔNIBUS

Serviços

O Parque conta com estrutura de recepção e credenciamento junto à Portaria, monitores para orientação do público, centro de visitantes, Museu do Chá, mostra permanente sobre os naturalistas, trilhas sinalizadas (apenas as mais utilizadas), área de camping com infraestrutura, hospedagem em alojamento ou casa de hóspedes, área de piquenique com mesas e churrasqueiras, playground, campo de futebol e quadra de areia, sinal de telefonia celular. Atualmente não oferece serviço de alimentação. Na cidade de Ouro Preto (local mais próximo) existe hospital, posto de combustível, oficina mecânica, agência bancária e casa de câmbio.

Melhor Época

O período seco vai de maio a novembro, podendo ocorrer chuvas ocasionais também nessa época. É comum o dia amanhecer com tempo fechado, muita neblina, e abrir um Sol forte ao longo da manhã e tarde. Fins de semana e feriados são normalmente acompanhados de mais turistas, mas em número restrito. Exceto no feriado do Carnaval quando a orientação é de que o visitante faça reserva prévia, tanto para visita, quanto para hospedagem.

- Terça-feira a Domingo – 08:00 às 17:00h
- Trilhas não exigem acompanhamento de monitores, caso exista interesse, agendar com antecedência
- É possível realizar travessias (caminhadas) que acessam o Parque por entradas diferentes da Portaria (é recomendado avisar a Administração)
- Entrada Terça a Sexta-feira = R$3,00
- Entrada Fins de Semana / Feriados = R$10,00
- Estacionamento = R$4,00
- Diária Camping = R$25,00 (por pessoa)
- Diária Alojamento = R$200,00 (cap. 8 pessoas)
*Tarifas de setembro/2013 – Existe meia entrada para estudantes e idosos
Parque Estadual do Itacolomi
- (31) 3551-6193
- peitacolomi@meioambiente.mg.gov.br
Instituto Estadual de Florestas
- (31) 3915-1345
- diap@meioambiente.mg.gov.br
- www.ief.mg.gov.br

Para Enriquecer sua Experiência

museu do chá
MUSEU DO CHÁ As matas que emolduram a paisagem no Parque e chamam a atenção dos visitantes, apesar de exuberantes, foram quase que totalmente retiradas no início da ocupação da região. A vegetação arbórea foi retirada e usada na produção de carvão que alimentava olarias e fundições. Os campos desnudos deram lugar às pastagens. A partir de 1932, foi introduzida na então Fazenda São José do Manso, mudas do chá preto trazidas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A cultura do chá foi inicialmente promissora, gerando emprego para muitos moradores da região. A fábrica do “Chá Edelweiss” funcionou até a década de 1950, exportando parte da produção para países como a Alemanha. As memórias e o cotidiano dessa fase da Fazenda São José do Manso, são narradas no Museu do Chá, espaço temático que pode ser visitado no interior do Parque.
centro_visitantes
CENTRO DE VISITANTES Prepare-se para uma viagem interativa pela riqueza natural e histórica do entorno de Ouro Preto e Mariana. Em um mesmo espaço, o Centro de Visitantes reúne informações sobre hábitos culturais, geologia, geografia, fauna, flora, hidrografia, da região onde está inserido o Parque. São usadas ferramentas modernas de interpretação, atendendo a públicos de todas as idades e interesses. O visitante encontrará painéis, fotos, vídeos, além de uma maquete com todos os atrativos da Unidade de Conservação. O espaço mexe com os diferentes sentidos do visitante e é parada obrigatória para quem deseja compreender o contexto em que o Parque foi criado e se preparar para as atividades de caminhada, observação da vida silvestre, banho na lagoa, etc. No local podem ser encontradas informações em outros idiomas.
churrasqueiras1
ÁREA DE CONVIVÊNCIA O Parque Estadual do Itacolomi conta com uma ótima infraestrutura para apoio aos visitantes, principalmente para aqueles que desejam desfrutar de alguns momentos de convivência com a família ou amigos, junto à natureza. Uma área coberta é destinada ao piquenique e conta com mesas, cadeiras, pias e até churrasqueiras. No local, as pessoas que estão acampadas, podem acender fogueiras, após adquirir lenha com a Administração do Parque e seguir as medidas de segurança recomendadas. A área de convivência possui estacionamento, está próxima ao playground e conta com estrutura de mirante e sinalização interpretativa. Existe ainda uma estrutura de restaurante, mas que, atualmente, não oferece alimentação.
area_camping
ÁREA DE CAMPING A Área de Camping do Parque Estadual do Itacolomi possui estrutura necessária para atender aos visitantes. Espaço gramado, em local reservado, próximo a estrutura de banheiro, possui chuveiros com água quente, pontos de energia elétrica, pias para lavar utensílios de cozinha ou roupa. O Camping está próximo ao estacionamento, playground, área de convivência e trilha interpretativa, sendo ideal para famílias com crianças. O Camping é uma alternativa interessante para quem deseja fazer do Parque a base para visitas também ao entorno da Unidade de Conservação, como Ouro Preto, Mariana, Lavras Novas, etc. O local é seguro e pode ser utilizado durante todo o ano. Apenas no Carnaval vale a pena uma reserva antecipada para uso do Camping.
playground1
LAZER PARA AS CRIANÇAS Playground com brinquedos de madeira, campo de futebol gramado, quadra de areia, lagoa para banho, trilhas interpretativas de fácil acesso, estradas com pouco movimento para passeios de bicicleta, centro de visitantes com diversas ferramentas lúdicas e interativas, são muitas as opções para crianças e jovens, em família ou em grupos escolares. As atrações do Parque não se limitam a área com infraestrutura, existindo também cachoeiras, represa, poços, cavernas, mirantes e, principalmente, o Pico do Itacolomi, que está um pouco distante mas pode ser acessado por pessoas com um bom nível de disposição e algum condicionamento físico.
bomsera
HOSPEDAGEM O Parque oferece quatro opções de hospedagem. Os Alojamentos são quatro casas geminadas, conhecidas como “Bom Será”, com dois quartos mobiliados com beliches e capacidade para 08 pessoas (cada casa). Contam com estrutura de cozinha como fogão e geladeira, além de banheiro. A Casa de Hóspedes é uma residência com diversos quartos e capacidade para um número maior de pessoas. A reserva deve ser feita diretamente com a Diretoria de Áreas Protegidas do Instituto Estadual de Florestas. Existe ainda a Casa de Pesquisadores, voltada a este público específico e o Camping.
CASA BANDEIRISTA Além do patrimônio natural, o Parque Estadual do Itacolomi se destaca pela riqueza do patrimônio histórico e cultural. O Parque guarda destacados elementos da arquitetura colonial local e conta, ao visitante, passagens importantes do processo de ocupação da região, bem como, da configuração social e econômica de Minas Gerais e do Brasil. A Casa Bandeirista era a sede da Fazenda São José do Manso, adquirida por Manoel Manso da Costa Reis em 1772, quando ainda era conhecida como Fazenda Vargem da Olaria. A Fazenda além da posição estratégica em relação aos caminhos que chegavam e saiam de Vila Rica, abrigava a Olaria Roque Pinto, responsável pela produção de telhas usadas na construção das igrejas da cidade. Mais tarde a Fazenda alcançou destaque com a produção do chá. A construção da Casa Bandeirista é datada do início do século XVIII (1706 a 1708) e teria sido construída a mando de Domingos Bueno, 2º Guarda-Mor da Capitania de Minas. O objetivo inicial era servir como ponto de controle para cobrança de impostos, bem como, vigilância das minas. No início do século XXI a edificação foi reformada e recebeu o tombamento histórico pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA). Já incluída no patrimônio do Parque Estadual, a Casa recebeu uma exposição permanente sobre os naturalistas estrangeiros que atuaram em território brasileiro, principalmente em Minas Gerais, e tanto contribuíram para a formação do conhecimento sobre os atributos da paisagem encontrados no país. A arquitetura acompanha o estilo paulista de construções rurais da época. A Casa foi erguida sobre paredes de pedras e técnicas específicas do período, o que pode ser observado a partir de estruturas metálicas e vidros empregados no projeto de reforma e novo uso da edificação. A proposta valorizou o espaço e tornou-o um ambiente temático singular, principalmente ao receber a mostra permanente com mapas, utensílios usados pelos pesquisadores, fotos e muitas informações históricas.

Trilha da Capela

capela_sao_jose

Pico Itacolomi

DSC_0012 (2)

Trilha da Lagoa

lagoa_capela

Trilha do Forno

forno_olaria
comments powered by Disqus